domingo, 13 de janeiro de 2008

Casa do Centro

Quando chega o verão o ponto de encontro na RF é inevitavelmente a Casa do Centro, a ansiedade da chegada das férias de verão está também associada à ansiedade da chegada à casa do centro. Quando chegamos, é lá que já estamos á espera de encontrar todos os que habitualmente tiram uns dias para descansar e confraternizar e que habitualmente vemos uma vez por ano. Grandes tardes de sueca e grandes noites se passam lá! Sem recuar muito no tempo, recordo uma noite do verão que passou em que uma data deles, fiéis músicos de uma orquestra bem afinada comandada pelo Necas e a sua viola, saíram dali para dar a volta à aldeia parando em todas as estações e apeadeiros... Não me esqueço: o Ernesto e o Rui Farlens estiveram quase uma hora a cantar à desgarrada... é obra!
Em relação a essa noite a Carolina foi a fotógrafa de serviço. Desafio-a a enviar umas fotos para as mostrar ao mundo.
Voltando à casa de convívio, penso que era de opinião geral a necessidade de fazer algumas obras de remodelação.
Essas obras já começaram e posso adiantar que decorrem em bom ritmo. Em breve trarei novidades e imagens do decurso das obras.

As imagens que se seguem, no próximo mês serão imagens para recordar







Até breve.

2 comentários:

Cristina Coelho disse...

Já está velhinha, a nossa casa do Centro... e como tudo o que avança nos anos e tem vida à sua volta, também este ponto de encontro tem muitas histórias para contar.

Começo por deixar aqui umas datas, daquelas que, quando queremos lembrar, já nos fazem perder nas contas:
- o nosso bar foi inaugurado em 1989, ano da chegada do alcatrão à Roda Fundeira.
- o muro da Eira Nova foi inaugurado em 1990.
- as obras para cimentar o largo iniciaram-se em 1993.

(As fotos existem, mas são da era analógica... vou tentar digitalizar e, se ficarem com qualidade mínima, juntarei a este arquivo)

Mas claro que o salão já tinha acolhido muitos bailes antes destas obras de melhoria! Como disse no início, a nossa Casa do Centro, a Eira Nova, tem sido muito vivida por todos os seus amigos, sejam da Roda Fundeira e Relva da Mó, sejam das aldeias vizinhas ou das terras adoptadas por aqueles que de cá sairam em busca de uma vida melhor.

É uma pena se essas histórias se perderem...seria muito engraçado conseguir reuni-las e construir um "album de memórias colectivas" da nossa aldeia...e este pode ser um meio para o fazer...e todos podemos ajudar...

Contamos convosco! Até breve!

Marize disse...

Olá a todos!

Já me esquecia que o programa "Queridos, mudei a Eira Nova" já tinha começado!!

Aqui em casa, eu e a Joanne, estamos ansiosas para ver os resultados, e tembém os entretantos, desta grande revolução no elemento central da vida da nossa pequena, mas tão querida, "aldeiazinha"!

Mandem depressa essas fotos para todos podermos ir acompanhando (pelo menos de longe...) p progresso na Roda Fundeira!

1 XiCoração
Marize =)